PROCESSO: atriz abre processo contra Disney após demissão 13

PROCESSO: atriz abre processo contra Disney após demissão

A polêmica em torno da demissão da atriz Gina Carano da série ‘O Mandaloriano‘ ganha mais um capítulo, agora com a entrada de Elon Musk na cena judicial.

Carano processou a Disney e a Lucasfilm, alegando que foi demitida injustamente em 2021, devido a postagens feitas em seu perfil no X (antigo Twitter).

Os detalhes do processo

A atriz, conhecida por seu papel como Cara Dune na popular série ‘Star Wars’, afirma no processo que suas palavras foram distorcidas para “demonizá-la e desumanizá-la como uma extremista de direita”.

A demissão ocorreu após postagens polêmicas feitas por Carano em suas redes sociais.

O apoio financeiro para o processo vem de uma fonte incomum: Elon Musk. O CEO da X Corp, empresa-mãe do antigo Twitter, expressou publicamente o seu compromisso com a liberdade de expressão, afirmando que está orgulhoso de fornecer apoio financeiro a Gina Carano.

O chefe de operações comerciais de X, Joe Benarroch, enfatizou o compromisso de capacitar Carano para exercer os seus direitos de liberdade de expressão e trabalhar sem intimidação, assédio ou discriminação.

PROCESSO: atriz abre processo contra Disney após demissão 16

A atriz interpretou Cara Dune em ‘The Mandalorian’ – Imagem: Disney Studios/Reprodução

As publicações que levaram à demissão de Carano incluíam uma comparação controversa entre a perseguição aos judeus no Holocausto e a situação das pessoas que expressam opiniões conservadoras sobre a Covid-19.

A atriz afirma que suas palavras foram mal interpretadas e que a empresa a criticou por difamar pessoas com base em suas identidades culturais e religiosas.

Em documentos obtidos pelo TMZ, Carano argumenta que foi demitida por “não se conformar com a ortodoxia progressista” da Disney.

Ela expressou desacordo com as políticas relacionadas à Covid-19 adotadas pela empresa e pelo público em geral na época.

Além disso, Carano destacou a percepção de duplo padrão ao citar o caso do co-astro Pedro Pascal, que não foi demitido por suas opiniões em defesa da comunidade LGBTQIAP+, especialmente em relação às pessoas trans.

Gina Carano argumenta que a sua demissão foi motivada pelas divergências de opinião e não pela qualidade do seu trabalho.

A ex-lutadora de MMA está determinada a limpar seu nome e buscar justiça, enquanto Elon Musk e a X Corp apoiam sua luta pela liberdade de expressão no universo digital.

O processo promete abrir um debate sobre os limites da liberdade de expressão e as consequências para os profissionais em ambientes corporativos, especialmente numa era de crescente conhecimento e debates sociais.

Relacionado :  “Estou colocando ele contra Senna e Prost”, Lewis Hamilton entre as elites da F1 de acordo com Derek Warwick